Relações Manipuladoras

Relações Manipuladoras

O cenário é mais ou menos assim…

O início era tão bom. Depois o direito de se tratarem com respeito foi desaparecendo aos poucos.

O direito de cada um expressar seus sentimentos, opiniões e desejos são inibidos pelo medo de gerar mágoas, conflito e violência.

Ambos perdem o direito à sua própria lista de prioridades, cedendo a prioridade do outro, e criando uma lista de dívidas intermináveis que serão cobradas logo depois. Cobram de si mesmo, e cobram do outro.

Ambos perdem o direito de dizer “não” sem se sentir culpado.

Questões importantes são esquecidas, não são mais validadas.

Lembre-se:

Vocês tem o direito de ter opiniões diferentes um do outro e isso não é o que causa o conflito.

O que gera o conflito é não aceitar a individualidade do outro, é a busca de manipular as emoções do outro. 

Lembre-se:

Vocês têm o direito a suas próprias individualidades, suas singularidades.

Vocês tem o direito de se protegerem de ameaças emocionais, mentais e físicas.

Dar limites é real, necessário e organiza as relações. Isto é muito diferente de ser mau ou egoísta.

Você é o responsável por criar ações conjuntas com o outro para fazer evoluir a relação. 

Você é responsável por criar bem estar na sua vida.

Se esta reflexão lhe serve, não fique sozinha, sozinho. Busque redes de apoio para criar saídas de paz e diga não à violência das manipulações.

 

Telma Lenzi | Julho 2015

OUÇA ESSA CRÔNICA GRAVADA

 

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*