Conversa com a Criança Interior

Conversa com a Criança Interior

Hoje tive um encontro muito importante.

Com ela.

Essa menina de 6 anos, minha Personagem Criança Interior me fez umas perguntas interessantes.

Ela me pergunta, o que eu fiz com as coisas que ela mais gostava de fazer.

Se eu, como adulta sigo fazendo o que me fazia muito feliz.

Fui questionada sobre muitas coisas e aqui compartilho algumas delas.

– Tu ainda sobe naquela árvore do jambo e fica imaginando histórias?

– Sim muito.

Mas na imaginação.

Imagino eu lá em cima da árvore, vendo nuvens. Aí eu escrevo as histórias e publico para inspirar pessoas.

– E escutar as conversas dos adultos, principalmente as proibidas da ditadura?

-Adoro.

Converso e escuto muito as idéias das pessoas (autores) em seus livros.

Gosto tanto de escutar histórias, conversar que virei Terapeuta. Escuto historias o dia todo.

E sobre as histórias do pai que protegia perseguidos políticos, isso me marcou muito.

Sou bem ligada nas injustiça do mundo, a gente chama isso de Ativismo Social e temos uma ONG.

– E brincar de casinha, arrumar os móveis, que era a melhor parte.

E as minhas bonecas?

– Simmmm. Amo decoração, que é arrumar os móveis.

E brinquei muito com meus 2 bebês. Hoje continuo acompanhando eles na vida adulta deles.

Ah! E o Momo está aqui comigo.

– Mesmo o meu MOMO?

Eu queria dizer “é meu” e saia MOMO. Daí ficou o nome dele, hehe.

– Sim. Este mesmo. O primeiro bonequinho.

-E brincar com os carrinhos do meu irmão, que eu adorava?

-Sim. Adoro meu carrinho de verdade e gosto muito de uma estrada pra dirigir.

Já fiz Raly e tudo. Que é brincar de jogar corrida de carrinho, na lama.

– Ohhh. Que legal que tu ainda brincas dessas coisas.

-E as brigas com o pai para fazer asa coisas que só os meninos podiam lá em casa?

-Hehe. Foi bom isso, né.

Tu conseguiu ir no jogo de futebol que era só para os homens.

E isso fez eu nunca recuar quando a regra do mundo proibia algo por eu ser mulher.

 

 

 

E sermos em 5 mulheres em casa sempre me aproximou muito do mundo das mulheres. Hoje no meu trabalho somos muitas, a maioria mulheres. Amo.

– E ainda como chocolate e bala escondido do mãe e do pai?

– Bom. Era bem divertido encontrar os esconderijos que mudavam de lugar, né?

Ainda adoro uma besteirinhas, chocolate então… Mas hoje tenho que esconder de mim mesma. Hehe.

– E teu quintal tem gabiroba, jambo rosa e amarelo, araçá, goiaba, pera, ameixa, banana e pitanga, né?

Porque o quintal é o melhor lugar da casa e eu adoro ficar lá.

– Ohhh. Não. Isso ainda estou me devendo. Mas prometo pensar nesse projeto fortemente.

– E o meu problema de não gostar da escola, não prestar atenção no que não me interessava, me prejudicou muito?

-Não.

O problema não era tu, mas o tipo de escola.

Hoje atendo muitas crianças criativas que não gostam da escola tradicional, também. Pouca coisa mudou, mas tá melhorando.

-Ufa. Fico mais aliviada de saber. Ganhei tanta bronca das professoras.

– Tem coisas que me deixam muito triste. Queria saber se vai passar.

– Pode perguntar.

-Eu consegui parar de fazer Xixi na cama?

Eu fico triste com isso.

– Sim.

Tudo tem seu tempo e as coisas foram sempre se organizando pra melhor.

– Obrigada por me contar. A menina fala com um tom de alívio.

– Queria fazer uma última pergunta. E a pior pergunta…

E o pai? Tenho medo que ele morra. Isso me deixa muito agoniada.

– Sim.

Foi bem difícil todos esses anos de infância com esse medo e ele tão doente.

Mas ele viveu até eu ter 26 anos. Me ajudou, apoiou muito no inicio da vida adulta. Um super pai pra todos nós.

Ela suspira e seus olhinhos se enchem de lágrimas.

–  Tchau, vou brincar.

E ela sai correndo. Mas de repente volta as pressas.

– Ei, pera, pera. Tem mais uma aflição em mim. Posso só mais uma última pergunta, só uma?

-Pode.Claro. Todas que quiser.

-E vou ganhar uma irmã ou irmão daqui a uns dias.

E todos falam que eu vou pro canto. Que não vão mais gostar de mim.

Que vai ser de mim?

– Isso foi muito cruel contigo. Não era verdade. Foi bullying.

– Bullin?

– Sim, Bullying. Brincadeiras maldosas que machucam muito.

Olha. Deixa eu te contar algo muito bom: Tem amor pra todos.

E vai ser uma menina.

E pode acreditar, ela vai crescer logo, logo e vai ser a tua melhor amiga na vida.

Ela sorriu, me deu um abraço demorado e voltou aliviada pra brincar.

 

E como seria com você?

O que a sua Criança Interior lhe perguntaria?

Tire um tempo pra você e faça as suas perguntas.

Suas alegrias da infância estão presentes na sua vida adulta?

 

Telma Lenzi

07/10/2020

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*