As Cores de um Ano

As Cores de um Ano

O fim do ano. O início e o fim de um ciclo. Que não necessariamente morre e renasce em 31 de dezembro.

Para uns é  24 de setembro, para outros 22 de novembro, 11 de setembro, 2 de junho etc. Para mim é 14 de julho.

Pra você é o dia do seu aniversario!

E como um ciclo que não fecha em si, faz-se abundantemente recheado de fatos, situações, que confirmam nossas posições de vitima e herói de nossa própria vida.

Inegável a pressão do calendário que nos remete nesta época do ano a repensar nossas vidas.

Como equilibrar este movimento do ciclo para mantermos a PAZ e a ESPERANÇA?

Gosto muito de fazer trilhas, da paisagem e suas cores. De sentir a natureza sempre ali a nos oferecer ajuda e orientação. E foi olhando algumas cores que me veio respostas.

Violeta, Azul, Vermelho, Amarelo, Verde, Marrom, Preto, Branco, Rosa. Vou observando. A beleza da completude das cores! No que elas podem nos inspirar para ações? Vou observando.

Vem aparecendo o VIOLETA, irradiando boas sensações, limpando emoções contidas, magoas e medos vividos.

Junto com o AZUL, que é a cor da alma, que nos ajuda a buscar nossas verdades mais profundas.

O princípio da vida, da sensualidade, a primeira cor do arco-íris, o VERMELHO, raro na natureza, acende a vida como o fogo. Traz o fogo do viver.

O AMARELO,  tom radiante aparece ao meio-dia.

Nos transmitindo a coragem e a forca vital. Energia e prosperidade para seguirmos em nossa tarefa.

Todos os tons de VERDE de uma mata exuberante vem nos proporcionar preciosas pausas de tranquilidade e paz para recuperarmos a energia. Com todo o seu poder restaurador, nos da o sentido de esperança e purificação.

O MARROM nos traz a segurança, solidez, moderação remetendo a própria Terra.

A nossa resiliência para os  momentos de absorção total representada pelo PRETO. Que vem nos lembrar que a luz e escuridão se necessitam.

O PRETO e o BRANCO, com sua polaridade se complementam como no masculino e feminino.

BRANCO, com a neutralidade para unir todas as cores, e representa o movimento, vem nos ensinar a integrar.

Finalmente aparece o ROSA. Porque os tons róseos do mundo são femininos: o ventre da mãe, o mamilo, a boca, a rosa cor-de rosa. Rosa é a tonalidade do afeto, dos sentimentos, da paixão com espiritualidade, do amor incondicional, do ato de agradecer ao vivido e ao não vivido.  Nos fazendo acreditar que com a amorosidade o ciclo se reequilibra na Paz e Esperança inscritas na nossa paisagem interna.

E recomeça o novo ano. Porque a vida é Cor-de- Rosa.

Eu agradeço!

 

Telma Lenzi | Dezembro 2006

 

 Atualmente sou jipeira, e me dedico a observar e

buscar respostas de questões existenciais na natureza,

 em sua diversidade e paisagem que percorro em

 trilhas off-road.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*